Sobre

O Programa de Pós-Graduação em Biotecnologia (PPGBiotec) da Universidade Federal de São Carlos, iniciou suas atividades em 2004 oferecendo cursos de Mestrado e Doutorado.

Como o primeiro Programa de caráter multidisciplinar na UFSCar, tem como objetivo formar pesquisadores para induzir e participar do desenvolvimento da Biotecnologia no país, paralelamente à implantação e consolidação de Pesquisa Científica e Tecnológica Interdisciplinar em Biotecnologia.

O Programa propõe-se a promover um salto qualitativo nas atividades relacionadas à Biotecnologia já em desenvolvimento em vários departamentos da UFSCar e entrar em contato com outros Departamentos, Universidades e Centros de Pesquisa, que com o tempo deverão juntar-se ao Programa, agregando experiência e competência, de forma a ampliar as disciplinas e áreas para o desenvolvimento de novas atividades interdisciplinares.

Objetivos do PPGBiotec

O Programa de pós-graduação em Biotecnologia, o primeiro de caráter interdisciplinar na UFSCar, tem como OBJETIVO formar RH para induzir e participar do desenvolvimento da Biotecnologia no país, paralelamente à implantação e consolidação de Pesquisa Científica e Tecnológica Interdisciplinar em Biotecnologia. O Programa se propõe a promover um salto qualitativo e quantitativo nas atividades relacionadas à Biotecnologia em desenvolvimento em vários Departamentos da UFSCar. Inicialmente todos os Docentes do Programa pertenciam à UFSCar, formando o núcleo de implantação do Programa. Posteriormente, já com os primeiros alunos formados, docentes e pesquisadores de outros Departamentos, Universidades e Centros de Pesquisa foram se integrando ao Programa, agregando experiência e competência, de forma a ampliar as disciplinas e áreas para o desenvolvimento de novas atividades interdisciplinares. O programa foi criado em março de 2004 como uma iniciativa inovadora dentro da UFSCar, por seu caráter interdisciplinar, com docentes pertencentes a diferentes departamentos, mas sem estar vinculado diretamente à estrutura tradicional dos departamentos. Trata-se de um programa relativamente jovem, frente a outros da UFSCar. As primeiras dissertações foram defendidas no ano de 2007, e as de doutorado em 2008. Desde então mais de 160 teses e dissertações já foram defendidas, mostrando, juntamente com os projetos e publicações, a evolução rápida e consistente do programa.

De forma geral, além da formação do pesquisador e/ou inovador e/ou empreendedor, a preocupação é com os problemas urgentes e desafios que dizem respeito à ciência e sociedade com uma visão inter e multidisciplinar, tanto no que diz respeito aos aspectos básicos da biotecnologia como com os de aplicação imediata. Isto pode ser observado nos trabalhos desenvolvidos, como o de novos métodos para desenvolvimento de vacinas recombinantes, expressão de proteínas, desenvolvimento de sistemas para imagens de ressonância magnética em tratamentos médicos, efeitos de laser terapêutico e outras terapias fotodinâmicas com avaliação dos efeitos in vitro e in vivo, protocolos para bioterrorismo e de biossegurança hospitalar, desenvolvimento de softwares que apoiam a ciência básica ou acompanhamento de processos biológicos, estabelecimento de metodologias para análise de DNA, estudos in vitro, in vivo e por simulação molecular de compostos relacionados com processos anti-inflamatórios e de doenças como malária, estudos para desenvolvimento e apoio da agricultura, e em especial da cana-de-açúcar, desenvolvimento de um pipeline para análise genômica e transcriptômica com base em Web services, estudos de biocompatibilidade, magnetismo, nanopartículas, liberação controlada de fármacos, entre muitos outros. Observa-se que esta variedade de temas é possibilitada pela formação dos docentes e de seus laboratórios na aplicação das questões do século XXI, totalmente interdisciplinares.

Histórico e contextualização do Programa

A UFSCar é comprovadamente uma instituição de excelência em P&D e formação de RH, reconhecida como tal junto ao CNPq, CAPES, FAPESP, FINEP e outros órgãos de fomento ligados à pesquisa científica e tecnológica e à formação de RH de alto nível. E como salientado acima, a UFSCar agrega competência e experiência suficientes para contribuir e induzir o desenvolvimento da Biotecnologia no país.

Entende-se como Biotecnologia, a tecnologia envolvendo organismos vivos, moléculas provenientes de organismos vivos (biomoléculas) e/ou compostos que interajam com biomoléculas, visando a obtenção de produtos, processos ou serviços de interesse da sociedade, por meio de técnicas desenvolvidas a partir de conhecimentos relacionados a diferentes áreas do conhecimento a ela relacionados, tais como a biologia molecular, bioquímica, biofísica, bioinformática, nanotecnologia, medicina e demais áreas afins, como na manipulação proposital de moléculas de DNA, sequenciamento genético, dispersão controlada de fármacos, diagnósticos e biossensores, para citar alguns exemplos.

A Biotecnologia tradicional não está sendo esquecida, porém o foco principal aqui está centrado na aplicação do conjunto de técnicas desenvolvidas nos últimos 30 anos. Por suas características intrinsecamente multidisciplinares, a Biotecnologia demanda a agregação de pesquisadores das diferentes áreas que a compreende, dessa maneira, e por termos nos vários campi da UFSCar e nas universidades e centros de pesquisas ao redor de São Carlos uma grande disponibilidade de tais pesquisadores, interessados em Biotecnologia é que foi proposto em 2004 o programa multidisciplinar de Pós-graduação em Biotecnologia da UFSCar.

Inicialmente envolvendo pesquisadores de diferentes departamentos da UFSCar e da EMBRAPA Instrumentação - CNPDIA/São Carlos , que mantém com ela uma estreita cooperação, e posteriormente da USP, UNESP, UNIFESP e outras, o programa de pós-graduação em Biotecnologia da UFSCar congrega um número bastante significativo de pesquisadores com produção expressiva nessa área. Esse número tem crescido dada a procura por pesquisadores pelo programa, o que tem propiciado a definição de critérios bastante rígidos no credenciamento/descredenciamento desses pesquisadores.

No quadriênio 2013-2016, continuamos na mesma vertente de crescimento do programa, porém com ajustes mais finos no corpo docente e na cobrança mais forte sobre os prazos e as publicações. Nosso número de patentes tem crescido regularmente com média de três ou quatro pedidos de registro por ano, não sendo 2013 uma exceção. Com o novo regimento estes aspectos irão se manifestaram mais fortemente, nos anos seguintes.

Coordenações anteriores do PPG-Biotec

Ano: 2005
Coordenador: Claudio Alberto Torres Suazo
Vice-Coordenador: Mauro Biajiz

Ano: 2006 a 2010
Coordenador: Fernando M . Araújo Moreira
Vice-Coordenador: Luis Carlos Trevelin

Ano: 2011 a 2015
Coordenador: Luis Carlos Trevelin
Vice-Coordenador: Julio Zukerman Schpector

Ano: 2016 a 2018
Coordenador: Cristina Paiva de Sousa
Vice-Coordenadora: Ângela Merice de Oliveira Leal
Vice-Coordenador (desde jan/17) : Julio Zukerman Schpector

Representantes docentes
Haverá eleições no início de Março

Representante discente
Matheus Darone Fronteira
e-mail: daronematheus@gmail.com